top of page
1-compressor.jpg
Raj_Brown-compressor(1).png

CAPÍTULO I . TECELAGEM

Lã de Camelo

Ao escolher o leite de camelo, lã ou papel, estamos a ajudar os "Raika", fornecendo oportunidade de trabalho à sua comunidade rural, dando uma importância particular aos camelos e devolvendo à natureza a sua qualidade sustentável!

OS CAMELOS DOS RAIKA

Os Raika, uma comunidade pastoralista e semi-nómada do Rajastão (Índia), pastoreia camelos desde séculos. Os camelos simbolizam o que muita gente associa a este estado colorido da Índia: o deserto. Eles são essenciais para os pastores, uma vez que sobrevivem facilmente ao calor, necessitam de pouca água, e oferecem em troca leite e lã.

Segundo a tradição, as comunidades Raika e os agricultores relacionam-se economica e socialmente: quando o pastor leva os seus animais durante uma longa excursão, ele tem muitas vezes que atravessar terras agrícolas - é aí que os pastores podem fornecer o agricultor com um bom fertilizante e leite fresco do camelo; o agricultor oferece, em retorno, alimentos. Uma vez que a rota dos pastores raramente varia, forma-se, por consequência, uma relação entre as duas partes, podendo esta perdurar por gerações.

Hoje em dia, muitos agricultores não permitem que os pastores fiquem nas suas terras temendo a destruição dos campos ou que os camelos comam as suas colheitas.

AS DIFICULDADES ACTUAIS DOS RAIKA

Actualmente, os Raika - que estão rodeados dos seus animais durante toda a vida (e por vezes crescem mais cercados por animais do que pessoas) - lutam para sobreviver diante da arrogância e hostilidade em relação às tradições migratórias.

Antigamente, aos Raika, bastava-lhes vender camelos machos jovens para ganhar o dinheiro necessário. Hoje em dia, já não é o suficiente e vêm-se, então, obrigados a vender outros produtos de camelo de forma a completar os seus rendimentos.

O leite de camelo é rico em nutrientes e é considerado o próximo super-alimento, porém a sua venda na Índia é limitada, devido a numerosas restrições da parte do governo e das indústrias de lacticínios.  Como tal, a capacidade de sustento dos Raika encontra-se em declínio e, por conseqüência, muitos deixam a comunidade em busca de meios de subsistência alternativos.

Com as novas leis restritivas, que dificultam os criadores de camelos a aceder às terras e aos seus recursos naturais, alguns Raika têm sido forçados a vender camelos fêmeas no festival de Pushkar - algo nunca feito antes do ano 2000 - até então, eram vendidos apenas os camelos machos. A venda de camelos fêmeas é um sinal de resignação total para um Raika: sem estes animais não há hipótise de aumentar o rebanho...

AJUDAR OS RAIKA A SOBREVIVER

Algumas organizações sem fins lucrativos têm ajudado as comunidades Raika, criando novos produtos com lã de camelo, leite e até com estrume - a "LPPS / Camel Charisma", com sede em Sadri (Rajastão), é uma delas.

O leite de camelo emergiu como um novo super-alimento com benefícios milagrosos para a saúde. Sabe-se que possui três vezes mais vitamina C do que o leite de vaca e é dez vezes mais forte em teor de ferro.

Juntamente com essas organizações, os Raika tosquiam, desfiam e giram o pelo de camelo em fusos, criando manualmente esplêndidos fios de lã.

Tal como os camelos, o fio pode ter variadas cores - inalterado de nenhuma forma e totalmente natural.

Existe também a fabricação de papel: papel feito de excremento de camelo - que passa por variados processos, de forma a eliminar bactérias e para que seja inofencivo para os humanos.

O papel de estrume de camelo foi considerado o papel mais diversificado do mundo!